VRILL, HIMMLER E A SOCIEDADE THULE.

Ainda hoje e talvez por muito tempo ainda, muitos se perguntarão sobre os verdadeiros motivos que levaram os nazistas de Hitler a cometer tamanhas atrocidades antes e durante a segunda grande guerra. Alguns fatos que levaram a ascenção e até mesmo a decadência nazista foi a prática de paganismo entre seus principais membros.

Símbolo da Sociedade Thule

Muitos conhecem que a limpeza étnica judaica conhecida como Solução Final, era a idéia quase que primária de Hitler, mas poucos conhecem o fato do culto de uma seita interna da alta corte do partido ( Hitler, Himmler, Göring, Goebbles e Rudolf Hess ). Essa seita misteriosa conhecida como sociedade THULE, estimulava a prática e costumes nórdicos.
O principal ensinamento desta seita era a prática de uma magia chamada VRILL, que emanecia dos astros celestes que serviam de moradia aos lendários deuses nórdicos. Segundo as lendas nórdicas esta força poderia ser manipulada por homens e que seus primeiros detentores teriam sido os homens arianos que se estabeleceram na região do himalaia a milhares de anos, e que teriam sido os principais descendentes dos deuses, sendo assim, semi-deuses.
Estas idéias foram cultivadas principalmente por Heinrich Himmler ( Comandante Supremo das SS ) e que diziam ser o membro mais fiel a essa doutrina.
Himmler segundo consta arquivos e testemunhas, mandou construir um palácio para todos os altos membros da SS, e que foi erguida com mão-de-obra escrava de judeus, ciganos e outras etnias hostilizadas pelo nazismo. A principal e mais demorada parte do palácio SS que deveria em breve se tornar uma escola militar, era uma sala oval construída exclusivamente para a prática do vrill e onde estavam 12 assentos, uma para cada general ou marechal da SS além do próprio Himmler. Há quem diga que esta seria uma alusão a história do rei Artur e a Távola Redonda.

No centro da sala, que detinha uma estrutura acústica, havia um buraco onde Himmler e seus líderes SS cometiam sacrifícios animais e até mesmo humanos durante sessões da seita. Outras experiências eram praticadas como submeter prisioneiros a um frio extremo até atingir o ponto de hipotermia corporal e que depois tentavam devolver a temperatura normal do corpo colocando prostitutas nuas em cima dos prissioneiros.  Alguns sobreviventes dizem que um fogo inigmático emanava do circulo central da sala, que repressentaria para os maçons a energia VRILL.

Estes rituais faziam parte de toda a cúpula nazista e que seriam mais tarde na eventual vitória alemã na guerra, introduzida nos costumes e vida germânica para que assim o plano de conquista mundial ariana fosse bem executada.

Para mais informações sobre a origem do VRILL:

Anúncios